Colégio João XXIII terá Usina Solar Fotovoltaica

Em agosto, o Conselho Deliberante da Fundação Educacional João XXIII realizou reunião, de forma on-line, em assembleia extraordinária para discutir e votar a destinação de parte do Fundo de Sustentabilidade para o financiamento do Projeto de Usina Solar Fotovoltaica e, também, para criar uma Comissão de Orçamento para seleção da empresa responsável pelo projeto.

A Diretora de Obras e Patrimônio, Joice Pavek Figueiró, apresentou o material elaborado pelo Comitê de Infraestrutura, sob sua coordenação. Conforme apresentado no documento, após a instalação da usina, a economia gerada a cada mês será usada para a reposição do Fundo, com valor aproximado de R$ 10 mil inicialmente.

A proposta de utilização de 25% do Fundo de Sustentabilidade para financiamento do Projeto de Energia Solar Fotovoltaica foi aprovada com unanimidade pelo Conselho Deliberante, em 05/08/21. O valor será reposto ao Fundo em 96 meses (8 anos), incluindo os rendimentos da aplicação.

Também foram apresentados o Projeto e os estudos realizados pelo Comitê de Infraestrutura na busca da instalação de uma usina de energia solar no Colégio João XXIII, a fim de esclarecer dúvidas dos conselheiros e famílias. Dentre as vantagens estão: a sustentabilidade, alta viabilidade, alta durabilidade (+ de 25 anos) e a economia financeira.

Segundo Joice, as placas solares serão instalas nos telhados do ginásio, cantina e nos prédios 3, 4 e 9, pois possuem as melhores estruturas de sustentação e, também, de insolação, com uma estimativa de 370 a 400 placas. Mesmo assim, as usinas irão atender de 64% a 86% da demanda do Colégio e o restante fica a cargo da concessionária.

Como o colégio não tem muito tempo sem alunos, colocamos a instalação de setembro 2021 até fevereiro de 2022, não que será todo esse tempo, mas vamos distribuir a instalação durante esse período”, constata Joice Pavek Figueiró. Serão aproveitados os feriados prolongados e as férias do início de 2022, para aquisição dos equipamentos e instalação da usina. O projeto também foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Deliberante.

A Diretora Pedagógica, Márcia Valiati, em resposta ao questionamento dos conselheiros em envolver professores e estudantes em todo o processo de instalação da usina solar, diz que é um exercício de construção de uma cidadania mais consciente, especialmente uma cidadania planetária.

Como a gente falava, não é somente de uma área, é de todos os professores, de todos nós dentro da Escola. Então, eu acho Joice, que a gente cativa falando do próprio projeto. É um tema, uma temática de possibilidade de realização de algo dentro da Escola contanto com a participação deles, dos professores e dos estudantes“, salienta Márcia Valiati.

Ao final da reunião, foi criada uma Comissão de Orçamento para seleção da empresa responsável pelo Projeto, que também, irá ajudar na elaboração do Edital de convite às empresas. José Carlos da Conceição, Adriana Goytacaz e Eder Stedill, membros do Comitê de Infraestrutura, foram convidados para compor a comissão, juntamente com os conselheiros Gérson Righetto (2F), Sandro Duarte (2D) e representantes da Associação de Profissionais do João XXIII (PJ) e do Grêmio Estudantil (GEJ).

As assembleias/reuniões do Conselho são abertas à comunidade e realizadas de forma ordinária na última terça-feira do mês, com início às 19h00.

Total
0
Share
Rolar para cima