O olhar sustentável do Brechó de Uniformes

Doações, trocas e alternativas que beneficiam financeira e socialmente a Comunidade Escolar do João.

A relação dos estudantes com as roupas do uniforme escolar do Colégio João XXIII vai muito além de cobrir o corpo e protegê-lo, são elementos que produzem subjetividade e refletem a vida comunitária presente nas dependências da instituição. Desta forma, visando oportunizar o exercício do senso coletivo e sustentável, as famílias da Comunidade Escolar fazem doações, troca-troca e vendas acessíveis de uniformes ao menos duas vezes no ano.

Segundo uma das organizadoras, Joice Pavek Figueiró, o brechó surgiu de uma iniciativa de mães de estudantes e foi se transformando em uma ação oficial do colégio, realizada por mães voluntárias. “Ao longo dos anos, o Brechó foi evoluindo de um troca-troca totalmente informal, realizado nos corredores do Colégio, para uma ação bem organizada, realizado em sala própria, com regras mais claras e qualificação dos produtos”, salienta Joice.

Devido ao período de excepcionalidade provocado pela Covid-19, em 2020, o brechó foi em março, antes do fechamento da Escola. Em 2021, o brechó retomou suas atividades, mas de forma diferente. Atualmente existe um aplicativo para agendamento de horário, o que evita a aglomeração de pessoas. Assim, a cada meia hora, duas pessoas, no máximo, têm acesso à sala 300. As mães voluntárias que atendem ficam do lado de fora da sala, em um lugar arejado.

O brechó está sob a organização das mães Karen Weber, Giovanna Toniolo, Ana Cristina Soletti, Gabriella Stoduto, Cláudia Nunes e Joice Pavek Figueiró em parceria com o Comitê de Relacionamento Socioambiental. Além das doações e vendas de peças, existe o “balaio” de doações. No balaio, têm peças que não se encaixam no padrão de uniformes do colégio, alguns com pequenos defeitos, que podem ser escolhidas e retiradas sem custos para a família.

Os brechós de uniformes acontecem há mais de 13 anos na Escola, ou seja, são parte da memória afetiva de todos e estão interligados a um projeto de incentivo à sustentabilidade, chamado de Atelier de Sustentabilidade, feito em parceria com a Diretoria Pedagógica. Mas engana-se quem pensa que essa é a única ação, as práticas sustentáveis também acontecem de outras formas na escola, como é o caso do troca-troca de livros na biblioteca, que são livros em condições de uso que podem ser deixados antecipadamente na biblioteca para futuras trocas.

Joice conta ainda que uma das ações sustentáveis proporcionadas pelo projeto foi em 2019, quando o atelier forneceu para a Educação Infantil linhas de malha feitas com camisetas velhas para que as crianças e pais/mães confeccionassem artesanatos em uma atividade pedagógica. “Em 2019, foi iniciada a reciclagem de peças que não têm mais utilidade como uniforme, transformando-as em outras peças, como panos de pó, panos de chão, porta flautas etc. Em algum momento, pretende-se também realizar pequenos consertos nas peças, reabilitando-as para uso como uniforme”, finaliza.

A renda obtida pelo Brechó é destinada a diversas ações sociais, como ajuda à creche Boa Esperança, melhorias no próprio atelier de sustentabilidade e para investimentos no próprio colégio.

Funcionamento:

1) Recebimento dos uniformes, realização da triagem peça por peça e aprovação (peças em bom estado e limpas) para a troca. Quando a peça não for aceita (sem condições de troca, ou seja, peças rasgadas e com muitas manchas que não são passíveis de remoção), poderá ser deixada na escola para doação dentro da comunidade ou para futuras doações para instituições parceiras (ou pode ser levada de volta para casa);

2) Cada peça recebida, depois de aprovada pela triagem, é trocada por um vale com o valor da peça deixada;

3) As peças serão organizadas em prateleiras, araras e caixas, identificadas por modelo, gênero e tamanho.

4) As peças disponíveis recebem um valor e podem ser “compradas” com as fichas de troca ou com dinheiro.

Acesse o link e participe dessa iniciativa: http://brecho.joaoxxiii.com/

Total
0
Share
Rolar para cima