“A literatura nos une”, diz Paulo Celso, indígena Pankararu e mestre em direito socioambiental

Paulo Celso de Oliveira foi um dos convidados da Jornada Literária nesta quinta-feira (29/04).

As turmas de 8º ano do Ensino Fundamental e da 1ª série do Ensino Médio receberam, nesta quinta-feira (29/04), o indígena Pankararu Paulo Celso de Oliveira. O pernambucano é mestre em direito socioambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná e especialista em direitos indígenas, direitos humanos e cooperação internacional pela Universidade Carlos Terceiro de Madri. A atividade fez parte da Jornada Literária 2021 do Colégio João XXIII.

O evento foi mediado pelas professoras de língua portuguesa Raquel Leão e Aline Braga, após leituras de livros de Ailton Krenak, autor e ambientalista indígena, feitas pelos estudantes. Paulo compartilhou algumas de suas vivências e salientou o poder da literatura: “A literatura permite diálogo com pessoas que estão distantes, escuta, criação e recriação do mundo. […] Acredito que a literatura nos une.”

“Os povos indígenas consideram que a Terra é um ser vivo, como as árvores e as florestas. Por isso, nós precisamos cuidar, zelar deste planeta, para nós e para as futuras gerações, aqueles que virão.” – Paulo Celso

A professora Aline salientou a importância do encontro e a relação com os livros de Ailton Krenak, que compõem o projeto literário das turmas. “Quando tu trazes essa ideia de envolvimento com a natureza, é tudo que a gente está tentando pensar, apesar dos desafios que a gente sabe que isso impõe.”

O momento de conversa e troca sobre a luta pelos direitos indígenas também foi marcado pelas perguntas dos estudantes que, entre outros temas, questionaram o convidado sobre o que podem fazer “não indígenas” para engajarem-se nessa luta.
Dessa forma, é possível afirmar que não foi só um encontro, foi uma abertura para mudanças de pontos de vista, de compreensão ampliada da vida e das relações que estabelecemos com a natureza e as pessoas.

Total
0
Share
Rolar para cima